O ato de comer fezes é no mínimo repugnante para a espécie humana. Nós nunca desejamos comer fezes sejam as nossas, de outras pessoas ou animais, certo? Só que no mundo animal, mais especificamente no âmbito canino o ato de comer fezes é dito como eticamente normal.  Vou explicar. Para  os cães faze-los é na maioria das vezes extinto de “sobrevivência”. Um exemplo claro disso é a deficiência nutricional.
.
As fezes são nutrientes que o nosso  corpo (organismo deles) rejeitou por não precisar mais entre outras coisas. E na cabeça do nosso melhor amigo se está faltando no seu organismo, os nutrientes presentes nas fezes podem ser reaproveitados. De fato elas podem ser consideradas até apetitosas aos cães.

Quando sintoma de um problema maior

Como falamos a coprofagia é normalmente problema de ingestão de nutrientes e apesar de normalmente ser um “desvio de comportamento” há aspectos clínicos que devem ser avaliados, tais como sugere a Revista Veterinária:
“Insuficiência pancreática exócrina, enteropatia inflamatória, parasitismo intestinal, hipertireoidismo, diabetes, hiperadrenocorticismo, deficiência nutricional, anemia por deficiência de ferro e doenças neurológicas são algumas das causas clínicas a serem citadas.”
Para descartar qualquer causa clínica você deveria levar o seu melhor amigo para um exame. Caso ele apresente alguma dessas patologias, sob tratamento a coprofagia deverá cessar.  Ainda no âmbito veterinário comportamental é importante citar que as fêmeas lactantes, para manter o ambiente sempre limpo adicionado com a fraqueza após o parto comem as fezes do filhote. Esse comportamento é normal e psicologicamente saudável, portanto deve ser ignorado.

Faça e observe

A principal suspeita nesses casos é a deficiência nutricional como falamos.  Então a primeira coisa a se fazer é olhar para o que ele está comendo.  Reveja alguns aspectos como:
  • Tipo de ração: A ração que você fornece é adequada ao seu cachorro?
  • Várias vezes ao dia é melhor: Cães que comem uma vez ao dia não absorvem todos os nutrientes presentes no alimento fornecendo assim “cocozinhos deliciosos” cheios de nutrientes não digeridos. Um grande convite ao banquete é lançado.

De pai para filho

Filho de peixe, peixinho é“. Essa expressão popular ajuda a explicar uma das prováveis causas da coprofagia, a imitação. O cachorro tende a te seguir como seu líder. Se você limpa as fezes na sua frente ele entende que o cocô não pode ficar ali e para lhe agradar pode estar comendo as fezes para deixar o ambiente limpo como você faz. O jeito mais fácil de eliminar esse comportamento é não limpá-las mais na sua frente. Interessante, não?

Fezes como droga canina

Imagine uma pessoa infeliz, que recorre às drogas para se sentir bem novamente. Agora, no lugar da pessoa, pense em um cachorro e a droga pelas fezes e terás o entendimento da causa. Se o seu animalzinho não tem convívio social e não há brinquedos para se divertir, sua imaginação começa a fluir e até o cocô é atrativo para brincadeiras, até depois virar um belo petisco. Se isto ocorre em sua casa, a “reabilitação” com brinquedos aliados a “apadrinhamento” da higiene e pequenos petiscos devem acabar com a dependência  da “cococaina”.

Sofrimento Compensatório

As vezes o pet faz isso para chamar a atenção. No lugar de brigar, quando ele se aproximar, brinque com ele, passeie, faça carinho.

Layout é importante

Em muitos casos o comportamento é desencadeado por falta de espaço ou higiene do animal.  Se você notar, os cães não fazem as suas necessidades perto da onde comem e dormem. Isso porque faz parte do princípio de higiene deles. Portanto reveja se os potes de comida não ficam perto do local proposto para a evacuação. Colocá-los distante um do outro ajuda na prevenção de novos acidentes.
.

fonte: Cão Feliz

Pesquisas que levaram a este artigo:

  • coprofagia canina
  • coprofagia shih tzu
  • âmbito canina pai